Sinceridade em excesso atrapalha

Ultimamente surgiu a moda da “sinceridade”.  As pessoas acham que podem falar tudo que quiserem a respeito de outras pessoas. Pior é quando o excesso de sinceridade acontece dentro do relacionamento. Saiba que isso não é nada legal.

As pessoas dizem: “Ah, mas eu sou sincera, não gosto de mentiras”. Ninguém gosta de mentiras. Mas, será que você não está confundindo sinceridade com má educação? Ou atrapalhando a relação com “verdades” demais?

Sinceridade ou falta de educação?

De repente você invade o espaço da outra pessoa, resolve falar verdades que julga importante sem que ela tenha pedido a sua opinião. Você acha que está sendo muito sincera, mas pode estar sendo bastante mal educada.

Não é legal falar para uma pessoa tudo que você sabe ou pensa sobre ela, mesmo que essa pessoa seja amiga sua ou companheira. Sinceridade é importante sim, mas quando é requisitada.

Não pratique um sincerocídio, com aquelas verdades ditas no meio de todos, causando brigas, mal-estar e desconforto.

E isso vale também para relacionamentos. Imagine que o seu parceiro pede a sua opinião em relação a uma roupa que ele está vestindo. Ele não foi bem na escolha das peças, mas é claro que você não pode dizer tudo que está pensando, pois corre o risco de magoá-lo.

Escolha melhor as palavras, ofereça uma segunda opção de roupa, deixe claro que ele fica muito melhor com aquela roupa que você deu a ele no dia dos namorados. Seja polida, fale de um jeito que ele não se sinta ofendido.

A sinceridade também tem que levar em conta a ética, a etiqueta social, os bons costumes e a educação. Nunca se esqueça disso.

Você pode dizer “você fica feio de roupa verde” ou escolher dizer “você fica lindo de roupa azul”. Escolha a segunda opção!

Algumas omissões são necessárias

Sabe aquele hábito dos chineses de tirar os sapatos antes de entrar em casa, para evitar que a sujeira entre junto com você? Faça a mesma coisa com o seu relacionamento. Tudo que você põe para dentro do seu relacionamento vai fazer parte dele. Não leve sujeiras para a sua relação.

Vou te dar um exemplo. Você está na padaria e encontra o ex-namorado ou ex-marido. Este encontro não significou nada para você, que está muito bem e feliz com o seu amado atual. Por coincidência, você tem um jantar importante e especial com o seu parceiro na mesma noite.

O que você faz? Conta para ele que viu o ex na padaria e corre o risco de estragar tudo? Claro que não. Certamente o seu companheiro terá uma crise de ciúmes e a noite romântica de vocês será um fiasco. O que eu quero dizer é que algumas omissões são necessárias para a saúde da sua relação. E inclusive, a pessoa tem que conseguir guardar questões apenas para ela e manter a relação em alta, priorizar a relação .

Outro exemplo é quando você se atrasa porque teve que demorar mais no salão e sabe que o seu parceiro vai se chatear se souber. Não precisa falar. Omitir é mais inteligente e mais saudável. E não se engane. Isso é mais comum do que imaginamos.

O excesso de sinceridade pode acabar com qualquer relacionamento. É comum que no começo de um romance o casal faça promessas de falar para o outro tudo que acontecer, mas na prática isso pode causar muita confusão. Melhor evitar o exagero para não ter dor de cabeça desnecessária.

Tem que pensar no cultivo da relação, não vendo aquilo como mentira, mas como uma prática saudável e necessária para que tudo permaneça bem. Nem tudo precisa ser dito, acredite.

O que percebo é que a pessoa quer contar tudo para tirar a responsabilidade de si e jogar  no outro. “ Eu disse tudo para ele, agora é com ele”. Porém também não é esta a melhor forma de realizar as coisas. Dizer tudo pode ser “ se livrar” e não querer responsabilidade sobre o acontecido… Parece que se você conta, se redime da culpa, porém coloca o lixo que você deveria digerir no meio dos dois. Daí perde o controle, pois o outro pode se negar a lidar com este lixo e a relação acabar. Ao passo que se você engole o acontecido, isola a sua relação deste acontecimento e vai se trabalhando sozinho, pode chegar a colocar este acontecimento fora da relação sem traumas. Mas se você contar e compartilhar com seu companheiro ou companheira, pode ao fim notar que a outra pessoa não quer mais a relação, pois não conseguiu lidar de forma adequada com o acontecimento.

Mentir para impressionar?

O primeiro encontro é crucial em uma relação. É o momento em que o casal vai se conhecer mais, saber a história e as preferências do outro. Mentir para impressionar não é nada bom, mais cedo ou mais tarde a mentira será descoberta. Mas também não precisa falar sobre toda a sua vida em detalhes.

Por exemplo, evite falar do ex. Se ainda houver essa vontade de falar do passado é porque você ainda não desapegou como deveria e não está preparado para uma nova relação. Além disso, ainda vai deixar o candidato com o pé atrás, achando que você irá falar dele futuramente também.

Se o assunto for sexo, evite se aprofundar. Fale de forma misteriosa. Também não é necessário falar sobre a sua vida financeira. Os homens não se preocupam com isso. Apenas saiba se comportar, falar corretamente e seja agradável.

Outra dica: se você está partindo para o seu segundo casamento e está se relacionando com alguém que nunca se casou, evite desanimar o outro sobre o enlace matrimonial. Entenda que a pessoa que está ali também tem os sonhos que você tinha antes de casar.

Deixe a amargura e o excesso de sinceridade de lado. Do contrário, é provável que você continue sozinha por um bom tempo.

Aproveite a amiga para desabafar

Todo mundo tem uma melhor amiga para desabafar. Aproveite a sua para dizer tudo aquilo que você tem vontade sobre o seu parceiro, sobre você mesma, aquelas coisas que podem prejudicar a sua relação ou provocar uma briguinha boba sem necessidade.

Tolerância é fundamental

Ninguém merece ter que aturar a verborreia do que o outro acha e entende que são verdades absolutas. É muito chato. Sair por aí dizendo os defeitos do outro é uma bobagem, uma grosseria infeliz.

A vida é exatamente como você imagina que ela seja. Cada um só vê com os seus olhos. Se dez pessoas lerem este artigo, cada uma terá uma visão diferente do que leu.

Devemos aprender a praticar a tolerância. As pessoas precisam apender a conviver com as diferenças e, melhor ainda, começar a apreciá-las. É preciso tolerar as diferenças do parceiro e saber conviver com elas, sem massacrá-lo. Este é um dos segredos do sucesso de relações que duram muito tempo.

Sempre que alguém me  procura como matchmaker  em busca de um parceiro e faz uma lista de qualidades que deseja que ele tenha, eu peço também uma lista das qualidades que esta pessoa tem para oferecer. Depois, peço uma lista dos defeitos dela e do que ela aceitaria no outro.

Você se espantaria com o número de pessoas que não vê defeitos nelas mesmas. Elas realmente acreditam que só possuem qualidades. Deixe a ansiedade, a crítica e o excesso de sinceridade de lado e pratique sempre a tolerância.

Todos nós somos falhos e devemos aprender a lidar com isso em nós e nos outros também. Aprendendo isso, com certeza, as suas relações sociais e a sua relação amorosa serão muito mais saudáveis e duradouras.

E lembre-se: o tal amor incondicional é aquele que não coloca condições, pois ama tal como é. Não é um amor superficial que não vê defeitos, e sim um amor adulto que ama incondicionalmente, apesar dos defeitos!

Lembre-se também que o auto conhecimento é a base de tudo sempre! A busca pelo amor do outro começa pelo amor por si!

2 thoughts on “Sinceridade em excesso atrapalha

  1. Pingback: Conheça e fuja do perfil dos rejeitados - Cláudya Toledo Matchmaker

  2. Pingback: Quer um homem pronto? Apronte o seu. - Cláudya Toledo Matchmaker

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *