O que fazer para nunca encontrar o amor da sua vida

Existem algumas situações que complicam bastante os relacionamentos e os impedem de evoluir. São atitudes que muitas pessoas tomam sem pensar nas consequências e, às vezes, até de forma inconsciente.

Sabemos hoje em dia que 90% das vezes as pessoas agem através de seu inconsciente, e apenas 10% das vezes através de seu consciente.

Esses comportamentos impedem que novas relações surjam e também não deixam que os relacionamentos que já existem cresçam e amadureçam. Veja se você está indo pelo caminho certo ou se precisa mudar de rota já.

Seja muito ansiosa

O excesso de velocidade do mundo atual é extremamente prejudicial à onda amorosa e conduz à ansiedade. As pessoas ficam divididas entre o passado e o futuro. Não vivem o presente. Elas querem tudo pra já, para ontem se possível.

Acontece que o amor exige tempo e cultivo. O amor quer terreno e tempo para ficar maduro. Não dá para viver como se estivesse em uma mesa de negócios, resolvendo tudo rapidamente com as facilidades do dia a dia.

Agir desta forma no amor é caminhar para o fracasso. A ansiedade gira em torno do: “ele gostou de mim ou não?”, “ele quer algo sério ou só ficar?”, “ele vai me ligar ou vai sumir?”. Esta dúvida dual gera a ansiedade.

O melhor é se conectar e levar em conta apenas o que acontece no presente, o seu desejo atual. Se você gostou dele, contente-se com isso. Nada de anseios e nem de expectativas. Assim, não gera frustração.

Quando ansiamos demais para que algo aconteça, acabamos por formular na nossa cabeça um desencadear de pensamentos, do jeito que esperamos que seja. E quando nada daquilo acontece, vem a frustração. E como dói quando tudo não sai como planejamos na nossa mente.

Você gasta horas do seu dia tecendo uma verdadeira viagem mental, sente os batimentos cardíacos mudando, se enche de energia e o corpo parece estar a todo vapor. Você cria expectativas, ilusões e se algo sair diferente, você se decepciona.

Dê tempo ao tempo. Aos poucos você vai percebendo e entendendo o que o outro também está sentindo por você. Apenas deixe que tudo corra tranquilamente, sem anseios e sem criar altas expectativas. Se quiser entender mais sobre pessoas ou seres humanos, frequente Constelações Sistêmicas Familiares em sua cidade ou conosco em Campinas, SP (toda segunda-feira, às 19:30, em Campinas, no Hotel Dan Inn – Mezanino, e em São Paulo na Holos Cursos e terapias , quintas-feiras, às 19 :30, na Av 11 de Junho, 126 – em frente à delegacia, Vila Clementino, próximo ao Metrô e Shopping Santa Cruz).

Ligue o sabotador interno

O sabotador interno é o diabinho de plantão. É aquela voz irritante que fica o tempo todo dizendo: Você não vai conseguir levar este relacionamento adiante” “não, é muito para você”, “não pode ser”, “é bom demais pra ser verdade”. Quantas vezes você já disse isso para você mesma? Aposto que muitas.

O sabotador interno nada mais é do que o medo agindo e tentando destruir tudo de bom que pode estar prestes a acontecer na sua vida. Geralmente, o sabotador interno aparece quando uma relação nova está começando.

As experiências do passado, principalmente as ruins, costumam frear os nossos passos. A terrível mania de julgar as pessoas, a desconfiança, o julgamento e a crítica são grandes alimentadores do sabotador interno. Nesta hora, é preciso deixar para trás as neuroses e os medos que podem minar tudo. Em vez disso, cultive os bons pensamentos e as ideias positivas na cabeça. Sei que dizer é uma coisa e fazer é outra bem diferente e inclusive poucos conseguem, não é? Quem consegue tem em comum a educação mental, aprenderam a educar a sua mente para o foco e os bons resultados. Estar mal significa sempre não estar no presente. Ou a pessoa está presa no passado ou está presa no futuro, difícil estar no presente.Quem está no presente é um presente para todos.

Repita quantas vezes forem necessárias: “sim, é verdade, eu mereço tudo que está acontecendo. Estou bem acordado e incluo tudo que está ocorrendo comigo, como está. Sem nada pôr e sem nada tirar. Tal como é”. Aceite e inclua tudo. Depois de viver a inclusão e sobreviver com tudo em si, bem consciente, tome o passo de expurgar, retirar o que não quer. Não há julgamento, não há culpa. Foram contingências, cada um só dá o que tem! Mas ele tinha e não deu ?!!? A lei da troca.

Quando a pessoa é desconfiada, desconfia até da própria sombra e vem com aquele papo que “o outro não inspira confiança”. O desconfiado atrai o mentiroso. Sabe porque? porque é tanta demanda que o desconfiado pede que o outro tem que acabar mentindo pois até se confunde. Geralmente, são pessoas que não confiam nem em si mesmas, muito menos nos outros.Tudo começa dentro de si.

Aquele que abusa do julgamento também sabota as suas relações. São pessoas que criam inúmeras histórias diante de uma característica de outra pessoa. Se o cara é separado, você acha que a culpa da separação foi dele. E de fato foi. Cada um é 50% responsável pela relação. Se alguém deu demais, quis ser reconhecido e afogou o outro, não viu o outro. Quem deu menos, não consegue pagar mais, ficou pesado. E daí? Quem não tem historias assim ou assado em sua vida que atire a primeira pedra!

Se ele é solteiro, acha estranho que ele nunca tenha se relacionado sério com alguém. Mesmo que a situação do outro seja igual a sua, você acha que no seu caso é diferente. E isso lhe dá o direito de julgar. É uma mistura de julgamento com desconfiança. Difícil gostar de alguém assim, não é?

Já quem é muito crítico, acaba vendo todos os defeitos do outro. Não vê nada além disso. É um especialista em encontrar falhas nas outras pessoas e nenhuma nele.

Quando o sabotador está ativado, a pessoa sente uma enorme dificuldade em enxergar qualquer qualidade positiva e começa a alimentar velhos fantasmas. Os hipotéticos problemas que ocorrerão no futuro começam a aparecer agora, no presente.

Muitas vezes são problemas que não passam da imaginação da pessoa. Sabe quando depois de muito tempo de casado a pessoa começa a achar que o casamento do outro é melhor, mais interessante? Conhece a famosa história da grama mais verde do vizinho? É por aí.

Esteja sempre pronto para desligar o sabotador quando ele aparecer. O estrago pode ser grande e você só perceberá quando for tarde demais. Eduque sua mente. Não se deixe sair do presente.

Seja sincera demais

Não se engane achando que precisa dizer tudo que acontece com você para o seu parceiro. Ou que deve dizer a ele tudo que realmente pensa sobre os amigos dele, a família, a roupa que veste etc. Isso é um erro que pode causar brigas desnecessárias.

Em muitas situações ao longo da relação de vocês, será preciso omitir algumas informações, alguns fatos. Não veja isso como uma mentira, mas como uma atitude saudável, voltada para o cultivo do seu relacionamento. Será que você sabe corrigir na boa o seu companheiro, de forma e faze-lo crescer, ou faze-la ser melhor? Ou precisa se informar?

Cada pessoa enxerga uma situação de uma determinada forma. As pessoas são assim. Cada um só vê com os seus olhos. A vida é exatamente como você imagina que ela seja. O que para você é algo simples e corriqueiro, para o seu amado é o motivo para um desentendimento.

Avalie se vale a pena jogar verdades na cara do outro em troca daquela satisfação pessoal de sempre ser sincera e ter que arcar com briguinhas que, aos poucos, vão minando a relação.

A sinceridade exagerada também pode interferir nas relações de amizade. Ninguém está disposto a ouvir as verdades absolutas que alguém julga serem as únicas do mundo. Sair por aí dizendo os defeitos do outro, além de ser uma bobagem sem tamanho, é muito grosseiro.

Antes de abrir a boca, pense se há uma forma mais amena de falar. Preze pela educação, pela ética, pelo respeito ao outro e pela boa convivência social entre todos. Seja polido e gentil. Quem fala o que quer, acaba ouvindo o que não quer.

Seja intolerante

Aquele que é intolerante não aceita os defeitos do outro. Acredita que não precisa se adaptar e nem tentar conviver com as diferenças que existem em todas as pessoas. Além de aprender a lidar com o diferente, você precisa apreciar o novo.

As pessoas são diferentes e é preciso aceitar isso. E, melhor ainda, saber aproveitar e gostar do que é diferente, do que há no outro que não há em você. O segredo das relações saudáveis e amorosas é a complementaridade, lembra?

Será que você está fazendo a sua parte para conquistar a sua cara-metade ou está criando barreiras e impedindo que este encontro tão sonhado aconteça?

Mas se quer mesmo compreender mais sobre a Cara Metade, convido para o néctar mais saboroso: CARA METADE!

Já ouviu falar? Fim de semana de aprendizado de relacionamentos e compreensão das relações saudáveis , de excelência!

Você pode participar, as vagas estão abertas!

Faça sua inscrição e venha conosco encontrar um novo grupo, aprender e, quem sabe, encontrar a sua alma gêmea neste grupo de pessoas livres que querem ser melhores a cada dia! Que querem acertar no alvo!

 

One thought on “O que fazer para nunca encontrar o amor da sua vida

  1. Pingback: Quer um homem pronto? Apronte o seu. - Cláudya Toledo Matchmaker

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *