A Completude do Amor em Sua Vida e em Sua Casa

As Glórias de Sita-Rama | Bhakti Yoga Pura

A completude do amor em sua vida

De todas as experiências humanas, no decorrer da história, podemos destacar uma como primordial ao desenvolvimento da espécie e de sua relação com o mundo: A experiência do amor. 

Entendo a experiência do amor como a busca da completude da alma humana, das relações de companheirismo, do duo homem/mulher na formação de suas linhagens, das relações entre os seres humanos e as famílias e na continuação das funções que nos permitem sermos humanos. 

O amor tem múltiplas representações na natureza humana, mas vemos nas constelações sistêmicas e em tradições antigas como ele pode se manifestar plenamente nos relacionamentos familiares que nos formam e se configuram em relações de troca e equilíbrio, em dar e receber. 

Bert Hellinger nos fala que: 

O marido ama a esposa e quer dar-lhe um presente. Por amá-lo também, ela o aceita de bom grado e, em consequência, sente necessidade de retribuir. Obedecendo a essa necessidade, presenteia por sua vez o marido e, para ficar em terreno seguro, dá um pouco mais do que recebeu. E porque deu com amor, ele aceita a oferta e, em troca, dá-lhe mais ainda. Dessa forma, a consciência mantém um equilíbrio dinâmico e o relacionamento amoroso do casal se intensifica com o volume crescente do dar e receber. 

Semelhante alegria não cai do céu, mas é resultado da vontade de incrementar o amor pelo dar e receber nos relacionamentos íntimos. Graças a esse intercâmbio em larga escala, sentimo-nos leves e livres, justos e contentes. Entre todas as formas de alcançar inocência nas trocas, esta é de longe a mais satisfatória.[1]

A vida nos ensina constantemente a importância do equilíbrio, da completude dos opostos que se unem. Temos um exemplo disso em um grande romance épico indiano, uma grande história de amor: O Ramayana. Escrito por Valmiki entre os séculos VIII e VI a.C, ele fala do amor entre o príncipe Rama e a princesa Sita. 

Segundo o Ramayana, Rama foi um príncipe herdeiro, do reino de Kosala, que se destacava tanto pela bravura quanto pela beleza. Tinha uma pele verde-clara, cabelo verde escuro e olhos verde esmeralda. Também era representado com a  cor azul, por ser considerado o 7º avatar de Vishnu, aquele que protege o universo.  

Sita por sua vez, é descrita como filha de Bhumi (mãe terra), que foi adotada pelo rei Janaka e pela rainha Sunaina. Ela era considerada um avatar de Lakshmi e muito estimada por suas virtudes. Sita foi prometida em casamento a quem fosse capaz de erguer e encordoar o grande arco de Shiva. Ao erguê-lo e dobrá-lo sem esforço, Rama o quebrou em pedaços, conquistando o amor de Sita e o direito de casar com ela. 

Diz a tradição, que Rama e Sita nos trazem os ensinamentos acerca dos desafios nos relacionamentos, além de exaltar a vitória do amor na união perfeita, de corpo e alma. Juntos eles potencializaram a energia amorosa tornando-se fisicamente quase iguais um ao outro. Almas gêmeas que trocaram ondas amorosas mais e mais livres um com o outro, amplificando a força de seu amor e de sua completude amorosa. 

Sita e Rama se amaram tanto que se fundiram e agora são representados como quase ”gêmeos” e quando olhamos as esculturas fica difícil ter a certeza de qual é o homem e qual é a mulher, e com este épico trazemos para nós a clareza de que somos feitos de pai e mãe, 50% homem e 50% mulher, na justa medida, sem nada pôr e sem nada tirar.

A completude do amor em sua casa

O problema não é de conforto, mas de segurança. Para comer, para fazer amor, e, sobretudo, para dormir, se necessita de um refúgio. Do contrário aparece a inquietude, a má digestão, a ansiedade, o pesadelo, enfim, irrompe o inimigo invisível que triunfa sem lutar. [2]

A epigrafe acima, retirada da obra Casas que matam de Roger de Lafforest, é muito inquietante, por se referir a casa como um ambiente que pode ser seu amigo ou inimigo, trazendo a clareza que uma casa pode curar ou adoecer o indivíduo. Não queremos dormir com o inimigo, ou deixar nossa família vulnerável. Então quando pensamos o amor e a completude nas relações entre homem e mulher, devemos pensar também onde este amor vai ser vivido e como pode ser protegido e então chegam as relações com a casa.

Desenvolvi o Método Sistêmico Casa Total com o objetivo de organizar todas as energias da casa e reestabelecer o ambiente permitindo a frequência amorosa e saudável.

Quando chegamos a este planeta, recebemos a nossa primeira casa, o nosso corpo. Depois notamos que o nosso corpo precisa de outra casa, para guardá-lo de forma adequada, portanto, a nossa casa deve ser a energia expandida de nosso corpo, sendo a nossa proteção.

Baseada nas minhas vivências e pesquisas nas áreas de Bioenergia[3], Radiestesia, Cromoterapia, Feng Shui e no método Konmarie de Marie Kondo, escrevi o livro “Sexo e segredos dos casais felizes” a fim de trazer para a compreensão das pessoas a influência da casa em suas vidas e relações. Neste livro descrevo as relações em cada ambiente da casa e você pode estudar sobre o tema.

Em outro livro meu, “Eles são simples, Elas são complexas[4]”, descrevo cada um dos chakras, elencados como a 07 saúdes (do corpo e da casa):

1º Nível: Saúde física, vitalidade e força. Regido pelo elemento Terra.

2º Nível: Saúde relacional e sexual. Regido pelo elemento Água.

3º Nível: Saúde financeira e profissional. Regido pelo elemento Fogo.

4º Nível: Saúde emocional. Regido pelo elemento Ar.

5º Nível: Saúde familiar e social. Regido pelo elemento Éter.

6º Nível: Saúde mental. Regido pelo elemento Tempo.

7º Nível: Saúde espiritual. Regido pelo elemento Consciência.

Através dessas saúdes de sua análise dentro do contexto da metodologia de trabalho Casa Total, podemos trazer a casa, de um ambiente que causa stress, cansaço e dores físicas, para um ambiente saudável e amoroso, fazendo a união do ambiente com seus usuários, numa completude um do outro.

SITA E RAMA

Mas hoje o meu assunto é a maravilhosa dupla decorativa de esculturas que muito atrai os olhares de tantas mulheres e homens e decoradores e arquitetos em geral, o casal SITA E RAMA como mostra a figura abaixo.

escultura rama e sita de madeira balsa tradicional 50cm

 

Este casal, de acordo com o épico que apresentado acima, deve ser utilizado como objetivo de conexão profunda do casal dentro do ambiente da casa. Portanto, um bom local para estas esculturas seria a entrada do quarto do casal. Logicamente que serão muitas posições possíveis e então trago a você a compreensão de todos os elementos e objetos que você coloca em sua casa. Bem como o resultado energético que tudo isso está causando em você. Portanto chamo a sua atenção neste artigo para compreender que tudo que esta ao seu redor, pode curar ou adoecer você.

Vamos olhar para isso?

Saiba mais em:

https://claudyatoledo.com.br/casa-total/

[1] Hellinger, Bert. A Simetria Oculta do Amor p. 23. 12ª edição 2008 

[2] Lafforest, Roger de. Casas que matam. P. 6 1985

[3] É a energia que une o corpo, a mente e o espírito. Chamada de “chi” ou “qui” ou “shakti” pode ser também chamada de “eletricidade do corpo”, ou força cósmica, e se apresenta para nós através de rodas de luz ou chakras.

Os Chakras são centros de energias, que representam diferentes aspectos da natureza sutil do corpo humano. As energias femininas (Yin) e masculinas (Yang).

[4] Toledo, Claudya. Eles são simples. Elas são complexas. Ed. Alaúde 2009.

One thought on “A Completude do Amor em Sua Vida e em Sua Casa

  1. Amonet says:

    O Casal Sita e Rama estão morando aqui em casa, um de frente para o outro, no corredor a caminho do meu quarto! Energia incrível!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.