Relacionamento abusivo: será que você sabe identificar suas principais características?

1
92

Relacionamento abusivo é mais do que comum. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, não é preciso que haja violência física para que uma relação se torne tóxica. A agressão é apenas um dos sintomas de um relacionamento nada saudável.

Exatamente por isso é que é muito importante saber reconhecer os principais sinais de que alguma coisa está errado na relação. Assim, é mais fácil encontrar maneiras de lidar com o comportamento inadequado de uma das partes.

Claudya Toledo relacionamento-abusivo Relacionamento abusivo: será que você sabe identificar suas principais características? Posts  relacionamento abusivo como lidar Ciúme em excesso Brigas constantes   Diferença entre ser passiva ou até submissa e ser abusada pelo homem

Mas veja bem, ser submissa não quer dizer se deixar ser abusada pelo homem. Dentro de um relacionamento, podemos enxergar a passividade como uma maneira de respeitar as decisões do outro que pode ser o homem ou a mulher.

Afinal, se os dois formam um casal, as decisões são tomadas em conjunto, pelo bem da relação. E, uma hora ou outra, alguém terá de ceder. Às vezes será o homem, outras vezes será a mulher. E não tem nada de errado nisso.

Neste caso, a concordância deve ser vista como aceitação da opinião do parceiro porque, naquele momento, é o melhor para a relação, mesmo que a opinião da outra parte seja contrária.

Não quer dizer, de jeito nenhum, que o que você pensa não tem importância ou que você não tem valor algum dentro da relação. É preciso saber a hora de aceitar que o outro pensa diferente. Afinal, todos pensam, não é verdade?

 

Principais características do relacionamento abusivo

O relacionamento abusivo existe quando temos uma parte abusadora e outra que se submete ao controle do parceiro ou parceira. Ou seja, quem comete os abusos exerce um poder sobre o outro.

Este problema pode acontecer em relações heterossexuais e homossexuais em que ambas as partes podem agir de forma abusiva. Mesmo assim, o homem ainda é o mais propenso a ter tal comportamento.

As características que ajudam a identificar um relacionamento abusivo são muitas, mas algumas são mais recorrentes. São elas:

Brigas constantes: neste caso a culpa sempre é da outra pessoa e nunca do abusador e ele faz questão de reforçar isso em todos os momentos.

Ciúme em excesso: a pessoa sente ciúme da roupa que o outro usa, dos amigos, do trabalho, dos familiares, de tudo. O ciúme é uma constante.

Controle extremo: quem comete o abuso tem o hábito de controlar todos os passos da pessoa. O que pode ser confundido como cuidado é, na verdade, um abuso.

Picos de explosão: a pessoa tem atitudes extremas, comportamentos explosivos diante de situações corriqueiras e, pouco tempo depois, mantém o comportamento natural de antes.

Drogas sempre são usadas como desculpa: é comum que a parte que subjuga a outra ponha no álcool e outras drogas a razão pelas brigas e humilhações às quais submete o parceiro.

Fim das amizades: seja pelo ciúme em excesso ou por achar que nenhuma amizade presta, o abusador sempre dá um jeito de afastar a parceira de amigos e familiares.

Humilhações diante de outras pessoas: a intenção do abusador, neste caso, é deixar a pessoa insegura, limitada e se mostrar como o único a quem ela pode recorrer.

Promessas e chantagens: além de chantagear a outra pessoa para garantir a aceitação dela, o abusador também faz inúmeras promessas sem fundamento, vazias, apenas para não ser abandonado. Acaba por não cumpri-las.

 

Claudya Toledo relacionamento-abusivo-blog-rillismo Relacionamento abusivo: será que você sabe identificar suas principais características? Posts  relacionamento abusivo como lidar Ciúme em excesso Brigas constantes   Como lidar com um relacionamento abusivo?

A primeira coisa a fazer é identificar as características listadas acima e procurar ajuda psicológica se houver ainda o interesse de salvar a relação. Do contrário, ou se o abusador não quiser ajuda, a separação é a alternativa.

Ninguém deve aceitar um relacionamento que machuca, que traz mais tristeza do que alegria e que afaste amigos e familiares. Por isso, é essencial que não se naturalize comportamentos e pensamentos abusivos.

São comuns frases como “toda relação é assim”, “tenho que pensar na minha família”. No entanto, pensar desta forma só contribui cada vez mais para aumentar o abuso e a subjugação.

Pelo mesmo motivo é que não se deve acreditar em promessas vazias de mudança, sem que tenha havido uma transformação verdadeira através de tratamento e ajuda psicológica. Analise a sua relação e não tenha vergonha de procurar ajuda, você não é a única e com certeza estará forte em grupo!

 

COMPARTILHAR
Artigo anteriorAmeaça de suicídio
Próximo artigoTermômetro da paquera
É empresária, palestrante, terapeuta, autora de livros e uma das maiores especialistas em relacionamentos do Brasil, com cerca de 30 anos de experiência na área. Formada em Comunicação Social pela PUC de Campinas e em Artes Cênicas pelo Conservatório Carlos Gomes, da mesma cidade, antes de abrir sua empresa de matchmaker atuou como assessora de comunicação de grandes multinacionais e fez carreira como modelo na Europa.

1 COMENTÁRIO

  1. I’ve been surfing online more than three hours today, yet I never
    found any interesting article like yours. It is pretty worth enough for me.
    In my view, if all web owners and bloggers made good content as you did, the internet
    will be a lot more useful than ever before.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here