Aprenda a se amar por inteiro e poderá se sentir inteiramente unido ao outro!

Se você ainda anda em busca de alguém que imagina que irá lhe completar cem por cento e só desta forma conseguirá ser plenamente feliz, saiba que a era das metades já passou. Para vivermos com maior dignidade neste planeta, devemos estudar e ampliar nossa consciência.

Agora, temos de ser inteiros, temos de desenvolver nossas capacidades humanas por completo. E esta caminhada de autoconhecimento começa pelo desenvolvimento do amor que podemos ter por nós mesmos, por todos os nossos eus.

Só amando a si mesmo é possível amar ao outro

A busca pelo amor do outro começa pelo amor por si, pelo amor próprio. E como é possível despertarmos o nosso amor próprio? O primeiro passo é conhecer e potencializar as nossas características essenciais.

Aquelas das quais eu já falei em alguns posts atrás. São elas: a atração, a emoção e a criatividade como talentos mais yin e a força , o poder e a inteligência como talentos yang.

Somente a partir do reconhecimento dessas potencialidades é que podemos dar início ao trabalho de amar a si mesmo para, então, amar outra pessoa. Conheça e trabalhe arduamente no desenvolvimento das suas essências.

O amor ao outro não existe sem o amor próprio. É simples assim. Nós enxergarmos o mundo com nossa percepção interna, com nossas vivências, emoções e pensamentos.

Se a nossa percepção estiver incompleta e negativa, o mundo e o outro não nos aceitarão. Como posso dar amor se não tenho esse amor? Eu preciso ter amor para poder amar o outro e ter uma visão amorosa de mundo.Cada um só dá o que tem!

O amor vai se expandir a partir de mim. É desta forma que ele será emanado para os outros e para o universo. Você sente amor e então visualize como uma pedra lançad no centro de um lago, as ondas geradas se perpetuam infinitamente. Seu centro cardíaco também emana suas vibrações!

Lembre-se, o amor precisa ser cultivado

O amor não é algo que aparece ou vem, de qualquer forma. Ele é um cultivo interno para que ocorra de dentro pra fora e para ficar ao redor, em seu campo. Por isso, se você reclama o tempo todo que foi largado, abandonado, estará espantando o amor.

Aprenda de uma vez por todas que o amor sem cultivo morre. Imagina só com a instabilidade que encontramos nos tempos atuais. O amor morre muito mais rápido. Sim, este fantástico sentimento está com a vida ameaçada.

No entanto, a minha maior luta  é para que o amor se alastre, que ele se espalhe, seja cultivado, cresça e floresça. É disso que todos nós estamos precisando e vemos toda semana acontecer o restabelecimento do fluxo amoroso em famílias por gerações! Estamos realizando semanalmente as Constelações Sistêmicas em Campinas nas segundas às 19:30 e em São Paulo nas quintas às 19:30. As sessões são cheias de luz e vida, as pessoas se conectam consigo mesmas e com suas linhagens, compreendem sua missão e podem sair aliviadas. Convido você para fazer parte! (envie e-mail para contact@claudyatoledo.com.br)

 

Depois de potencializar as suas essências, é hora de unir tudo dentro de si. Juntar o masculino e o feminino e saber tirar proveito disso. Este é o segundo passo para garantir o seu amor próprio e aprender a amar outra pessoa.

Juntar o masculino com o feminino dentro de cada um é suficiente para transformar o desamor em amor, a separação em união, transformar a guerra em paz.

 

 

Transforme a guerra em paz, são dois lados do mesmo fio

O estado das nossas emoções interfere diretamente no estado de nosso parceiro. Imagine que o seu amado chegue em casa bravo e estressado. Você, enquanto esposa, pode piorar o estado dele e o convívio se retribuir com cara feia, agressividade, reclamação e estresse.

Mas, se você estiver colaborando com o seu crescimento próprio e a evolução do outro também, pode optar por recebê-lo de forma amorosa, acolhendo-o, tentando ser engraçada ou quem sabe até de forma mais apimentada.

Desta forma, não só ele mudará de estado, mas vocês dois ficarão mais leves e conectados entre si. E a dica é a mesma para o caso contrário. Imagine que você, mulher, chega em casa brava e nervosa e encontra o seu marido alegre e receptivo.

Você pode até se perguntar o que fazer neste caso. Sabe o que eu aconselho: tenha uma consciência de guerra, minha amiga. Pense bem. Se a guerra está no mundo é porque ela está dentro de cada um de nós.

A maioria das pessoas vive em guerra dentro de si e projeta esse conflito para fora. Com certeza, essas pessoas estão infelizes e, muitas vezes, sozinhas. Escolha não deixar fluir e nem germinar as más emoções e os pensamentos ruins. Decida !

Transforme a guerra que está dentro de você em paz. Aceite o carinho, a alegria e a boa recepção do seu amado. Está tudo dentro de nós, sinta agora!.

 

E como se relacionar com o outro? Não há separação, estamos todos unidos!

Claro que a prática de todo este autoconhecimento implicará em mudanças. E sim, provavelmente não teremos mais a ilusão de estarmos sozinhos, mas ainda iremos nos relacionar com o outro de forma a perceber que cada relacionamento nos traz um tipo de alimento.

Aceitar que estamos unidos e precisamos todos uns dos outros poderá mudar a sua forma de ver a vida. Você não terá mais tanta soberba e conseguirá se sentir parte de um grande todo. Precisamos o tempo todo uns dos outros, imagina agora, quem colheu a maçã que você comeu hoje de manhã? É muito melhor sentir inteireza, com o todo, fazer parte.Vamos compreender como organizar a vida e as relações para podermos perceber  quando ganhamos e quando perdemos energia.A ilusão da separação drena nossa energia e traz infelicidade, medo e insegurança. Traz a ilusão de que devemos amar apenas uma única pessoa e saímos de nossso poder espiritual de “ amarmos uns aos outros”

Só assim podemos ter o discernimento de nos encontrarmos apenas quando estivermos em bom estado. Se estivermos inteiros, teremos a real possibilidade de sentir prazer nos relacionando com o outro e realizando trocas positivas com todos ao redor, somos dependentes uns dos outros. estamos a bordo do mesmo planeta.Se o barco afundar, todos morremos!

A missão do ser humano é evolução e desenvolvimento , não estamos na terra para o prazer apenas.Para realizarmos nossa missão humana, precisamos de consciência e força.Mas conseguimos acessar a nossa missão real quando aceitamos pai e mãe unidos dentro de nós, aceitamos nossa concepção, aceitamos a nossa vida!. E só se pode sentir o verdadeiro prazer orgástico quando você se ama e se sente inteiro. Masculino e feminino unidos dentro de si, sentindo energia completa da criação, a energia da vida.Esta forma de ver retira julgamentos sobre pai e mãe e faz compreender que enquanto estamos discutindo pai e mãe não estamos tomando nossa vida por inteiro. Precisamos toma-la por inteiro e honrar e aceitar pai e mãe. Este é  o começo da jornada em direção a independência emocional.

Aliás, você já percebeu como existem pessoas tão sem energia que parecem que estão quase mortas? Em geral estão no julgamento de sua concepção, ainda discutindo sua própria vida! Quando você julga o pai ou a mãe está julgando e não aceitando a si mesmo. Afinal, somos feitos de pai e mãe e aceitar o pai e a mãe dentro de si traz uma incrível  paz  dentro da gente pois aceitamos a vida que flui em nós, liberamos o fluxo.

Se acha que está em falta consigo mesma, procure ajuda. Faça Constelação Sistêmica, terapia, meditação, yôga, dance, mergulhe em workshops de autoconhecimento. Faça algo por você. Sua vida só mudará a partir de você mesmo.

Somos a cópia do universo, somos inteiros, somos o micro espelho do macro e devemos nos nutrir de todas as ingrediências da criação. Devemos ter dentro de nós a sabedoria feminina e masculina para, assim, estarmos mais próximos de Deus Deusa e da perfeição.

E só desta forma poderemos ter paz dentro e fora de nós mesmos. Acredite, amar a si mesma é amar a sua concepção por inteiro, tome seu pai e sua mãe em si, aceite a luz que te trouxe a vida e PEGUE A SUA VIDA EM SUAS MÃOS, SEM NADA POR E SEM NADA TIRAR. Se sentir completa e inteira é o primeiro passo para amar ao outro na melhor forma que o amor pode se apresentar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *