Traição dentro do relacionamento. Por que acontece e como lidar?

A chamada  traição ainda é uma das grandes causas de separação entre os casais. Percebemos hoje, com as constelações, que ela acontece porque um não está “vendo” o outro. Não está prestando atenção no outro, não sente a necessidade do outro . Em geral, o que está cego para o parceiro está olhando para mãe, para o pai, para um filho que faleceu. Enfim, a pessoa não está disponível para se relacionar. Sendo assim, o outro olha para fora e acaba sendo atraído por uma nova pessoa.

Mas a consequência de uma traição nem sempre é o fim da relação. E entender o que está acontecendo entre o casal é fundamental para que ele permaneça mais unido e forte, independente do que aconteça, até porque o casal compreende que cada um é responsável por apenas 50% da relação, e se algo aconteceu, foi entre os dois. Lógico que falo aqui sobre casos comuns , pois casos que envolvem psicopatias ou outros desvios de personalidade, é melhor que sejam compartilhados com um terapeuta.

 

Como os homens e as mulheres lidam com a traição?

Fizemos uma pesquisa recentemente e descobrimos que os homens brasileiros têm mais necessidade de fidelidade e mais dificuldade de ultrapassar os efeitos de uma traição descoberta.

Muitos homens nunca superam uma possível pulada de cerca e vão parar no divã, perdendo sua potência sexual. Como disse Freud:

“As mulheres resistem melhor, pois são um elemento mais estável. O homem é – por boas razões biológicas – mais frágil”

Por que será que isso acontece? Em geral, o homem relaciona traição inicialmente a  apenas sexo, porém, está se arriscando a derrapar. E a mulher associa traição a romance. As mulheres, quando imaginam um amante, pensam em um homem sexualmente ativo e doce, amoroso, que seja romântico, que as valorize, enfim, que seja um presente.

Resumindo, ela quer transformar aquele romantismo em ações de fato. A mulher trai porque quer ser abraçada, receber carinho e quer ser vista, admirada e ouvida.

Reconhecidas pesquisas apontam no sentido de que as mulheres se propõem ao ato sexual para serem abraçadas e, se o ato não ocorrer, mas ocorrer o toque e os abraços, para 80% delas está bom. Aliás, podemos lembrar das literaturas tântrikas que indicam olhar, versos, cantos, conversas, para depois chegar ao toque.

E, mais uma vez, Freud explica:

“Na mulher, a necessidade de ser amada é maior que a de amar”

A traição, neste caso, é o resultado de uma relação em que uma das partes, ou ambas, não está assistida  pela outra. O homem procura o sexo e o reconhecimento , a mulher procura o amor e ser vista, e ambos tentam encontrar fora aquilo que não encontram dentro de casa por algum motivo de indisponibilidade emocional do outro..

Vamos lembrar que cada um é 50% responsável pela relação.

 

E quando a parte traída não quer se separar?

Os efeitos de uma traição são muito amplos e específicos. Dependem de cada pessoa envolvida neste processo. O que normalmente ocorre é o fim da relação quando um dos parceiros descobre que foi traído, mas não é uma regra.

Existem pessoas que conseguem manter vários relacionamentos ao mesmo tempo. É da personalidade desta pessoa. Se você analisar o histórico pode ser que você descubra que  sempre foi assim.

A pessoa não fala porque imagina que se o outro  souber, não vai querer permanecer na relação, mas pode não ser verdade. Pode ser que esta pessoa esteja encontrando alguém que tope aquela conduta. O melhor é ser claro nas regras para poder dar certo. É muito difícil uma pessoa mudar. E a linhagem tem toda a chance de continuar a saga. Ou seja, a chance dos filhos agirem como os pais no amor é grande.

Existem linhagens que não vêem problema algum em dividir o parceiro. Isso é mais comum do que podemos pensar.

O importante é praticar o autoconhecimento e se descobrir, saber como e o que funciona para você.E então saber se colocar para o outro.

Alguns homens mantêm um harém de mulheres e lá existe um código de ética muito bem determinado. Se ele quer presentear uma mulher, tem que presentear por ordem e hierarquia todas que vieram antes.

Há dias específicos para ficar com cada uma delas, conversar. Não é uma bagunça como muitos pensam. Então, se pra você for normal isso, estabeleça as regras. Seja claro, é melhor do que ferir pessoas.

O relacionamento deve existir para te fazer feliz, te fazer se sentir bem. Não importa o que os outros digam. Se te faz feliz de verdade, a responsabilidade de prosseguir na relação é apenas sua e dos incluídos envolvidos nela.Se todos estiverem de acordo, não há problema.Note que as pessoas que se envolvem com pessoas como você foram atraídas por você naturalmente. É provável que esperem o mesmo que você.

Observe que vivemos em um sistema e tudo está interligado. Esta relação pode te proporcionar muitas descobertas boas, desde que você esteja conduzindo com sabedoria.

 

Traição e o nascimento dos filhos

Segundo o site Ashley Madison, especialista em relacionamentos conjugais, a chegada dos filhos é um dos momentos em que mais acontecem traições dentro de uma relação.

Mas por que isso acontece? Não é difícil de entender. O tempo e a energia da mulher, que antes eram dedicados ao casal, são direcionados agora à chegada do filho.

Com a falta de tempo, de cuidado e de energia, a vida sexual praticamente chega a zero. A rotina de mãe é muito cansativa e sobra muito pouco tempo para se dedicar ao sexo. A mulher passa à condição hormonal de mãe e isso faz com que ela se fixe no filho para cuidar da sobrevivência.

Além disso, tem a questão da aparência. A maioria das mulheres não se sente muito atraente após o parto para engatar uma noite mais quente com o marido. Este, por sua vez, não se sente muito à vontade para fazer sexo com a esposa tendo ali, ao lado, um bebezinho. E ele acaba procurando o sexo fora de casa.

Às vezes, ele se sente inseguro, deixado de lado. O mesmo acontece com a mulher quando o homem é muito dedicado ao trabalho e esquece da família.

Com o nascimento do filho é preciso reequilibrar o casamento para atender às necessidades do filho que chegou e da relação amorosa. É preciso ir se adequando à chegada do bebê e ao novo ritmo que ele vai impondo. Sim, porque agora o ritmo da vida do casal vai ser ditado pelo bebê.

A dica que eu dou é ter certeza de que todos passam por isso e que é possível ao casal ir se adequando a esta mudança e a este novo momento.

É importante que o casal se ajude, se torne companheiro e que o homem saiba que está ali para auxiliar a mulher e se colocar à disposição dela. Pode ser que as relações amorosas voltem, mesmo que devagar.

Para isso, ambos devem valorizar e dar lugar ao toque amoroso, muito mais do que o toque sexual que o homem quer naquele momento. Com cuidado, carinho e um pouco de tempo, o toque excitante e sexual vai voltar com certeza.

E você, homem, aproveite para passar o seu amor para o seu filho através de sua esposa. A sua energia positiva fará uma diferença enorme para essa criança em um futuro próximo. Honre a sua família e mostre o seu valor de homem e de pai. Deposite seu amor em sua esposa, ela doa ao filho e te retorna dobrado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *